domingo, 18 de outubro de 2009

Participação da equipa (Pego - Abrantes)

Marcou Presença: João Valério (60kms)... na realidade cerca de 51kms
Os dados do meu conta/kms: 50,68kms-2h49m11seg. - média 17,9km/h - vel. máx. 63,4 km/h

Estiveram presentes cerca 117 atletas, vindos um pouco de todo o concelho de Abrantes e outros naturais do concelho que já não residem aqui, bem alguns atletas vindo de mais longe.

A partida teve algum atraso, mas como estava um pouco frio, a pressa não era muita!

As datas e horas inclusas em algumas das fotos postadas (captadas por Carlos Cabedal - BTT Cabeço das Águias) não se encontram correctas, pelo que não deverão ser tidas em conta.

Organizava-se o pelotão para serem dadas as informações necessárias...

Não existia à partida qualquer sinal que diferenciasse os participantes dos 35/60kms, pelo que, cada um optava na devida separação (1 única) pelo pretendido.

Após breves informações e agradecimentos aos presentes, lá se iniciava a partida.

O passeio iniciou-se com uma curta volta de apresentação pela aldeia do Pego.


Talvez por ser Domingo, quase não havia assistência pelas ruas do Pego.

O início em terra batida logo com uma descida, no final da qual começaram as críticas: as fitas de marcação eram muito curtas e encontravam-se colocadas muito altas, sem auxílio de setas.

Primeira subida algo puxada para o pouco aquecimento que ainda tinha. Ainda consegui liderar o pelotão por escassos 300mts, o que não voltaria a acontecer até final.

Mas havia quem a achasse mais puxada do que eu... algumas centenas de metros atrás.

Eis a 2.ª descida, mais rápida e com um gancho à direita no final.

Por esta altura encontrava-me no 7.º lugar da geral, o que não iria modificar muito até final.

Do Pego em direcção a junto do leito do Tejo, lá nos dirigiamos no sentido Este.

Para os menos atentos ou desabituados, começavam as quedas. Aqui o Manel (BTT Tromba Estendida).


Havia até quem tivesse adereços extra, como retrovisor. Ainda assim não o impediu de derrubar um outro atleta que se preparava para o ultrapassar! Ou seja, peso extra desnecessário.
Próximo às instalações da Central Termoeléctrica do Pego.

Uma das subidas apelidadas de "paredes" que nos foi oferecida pela Organização.

Ao fundo já se podia ver a chaminé de refrigeração da Central do Pego.

Ainda na zona abaixo da Central do Pego, onde os trilhos eram simplesmente fenomenais.

As paisagens bonitas sucediam-se e o frio já começava a levantar.

Ao fundo o combóio de transporte e abastecimento de carvão mineral à Central.

Numa zona dificil por inexistência de quaisquer tipo de marcações.

Num próximo evento sugere-se a colocação de mais e melhor marcação, fitas mais compridas e mais baixas, setas e indicações de distâncias de maiores dimensões.

Caso para dizer: "Soltem a parede". Esta foi a mais terrível aos cerca de 18kms.

As placas de divisória das distâncias eram muito pequenas face ao local onde se encontravam, em que os atletas vinham com o "fogo no rabo" a mais de 35km/h. Daqui dirigiamo-nos em direcção ao Brunheirinho, Herdade da Ameixeira, Quinta das Amendoeiras, Fôjo, Coalhos, Casal do António e finalmente Pego.

Aqui o 2.º abastecimento (no Fôjo), colocado sensivelmene ao km 40, com o Miguel (BTT Cabeço das Águias), após cerca de 2kms em luta por entre areais. Só havia disponível águas... umas frutas não era mal pensado.
O 1.º abastecimento foi no Restaurante/Hotel do Central do Pego (onde não parei, mas ouvi dizer que até havia "minis"... devia ser bom!).
Já na subida para a Aldeia do Pego, próximo aos fornos do carvão (sorte não estarem a funcionar por causa do fumo), a escassos kms do final e com as energias no red line, após ter sofrido uma terrível quebra ritmo de cerca de 5min.

Nesta zona já se encontravam novamente juntos os atletas de ambas as distâncias, que confluiam junto ao cemitério do Pego.

Já com o banho tomado (Pavilhão Desportivo do Pego), com excelentes condições e sem esperas! Como não havia tiragem de tempos e baseado em participantes deverei ter finalizado em 7º, 8.º ou 9.º lugar. Muito bom, acho eu, tive aqui um óptimo teste e treino para o Festival Bike.

Após também alguma espera que abrissem as portas do edifício da Junta de Freguesia do Pego, lá nos encaminhámos para o almoço com um bom andamento, que a fome já era muita.

O almoço foi composto por bebida à descrição (água, sumo, vinho, cerveja), caldo verde, pão, grelhados mistos e salada (tomate e alface) a rematar com fruta.

O local para o almoço foi bem escolhido e o almoço estava fantástico.


Almocei junto com os amigos do grupo BTT Cabeço das Águias, onde reina sempre a boa disposição. O Carlos Cabedal, que não pôde participar por ter sido alvo de uma intervenção cirúrgica há relativamente pouco tempo, não abandonava a missão de fotógrafo... e ainda bem!
No final sortearam-se 2 bikes (???) EMF, pelos convivas que haviam adquirido rifas.
Balanço Final: Relativamente ao convívio e empenho da Organização, foi quase irrepreensível / o almoço e os trilhos foram fenomenais com dureza q.b. / ZA's a precisar de mais variedade / marcações no chão excelentes, fitas muito curtas colocadas muito altas e muito espaçadas, setas em papel/cartão de dimensões muito pequenas mas bem colocadas apesar de em diminuto número / inicío um pouco atrasado / falta de tiragem de tempos e postos de controle (atalhadores foram às dezenas) / inexistência de dorsais diferenciados para as distâncias disponíveis. Uns retoques nos itens apontados e terão o próximo passeio bem mais cotado.
REPORTAGEM: Texto-Valério / Fotos-Valério, Carlos Cabedal.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...