domingo, 11 de setembro de 2011

Participação da equipa (S. Miguel do Rio Torto)

Representante (55km): João Valério

CLASSIFICAÇÕES:
(clicar aqui para ver todas)
55km
1.º - 02H03:44 - Octávio Vicente (Fôjo-Zybex BTT Team)
2.º - 02H20:04 - Marco Lopes (A. R. "Os Mouriscos")
3.º - 02H31:13 - Hugo Neves (BTT Clube dos Pinheiros)
8.º - 02H49:00

25km
1.º - 01H13:18 - Pedro Loureiro (Fôjo-Zybex BTT Team)
2.º - 01H13:18 - João Barroso (BinTTage)
3.º - 01H13:35 - Fábio Pires (Tromba Estendida Bike Team)

Aqui fica o track dos 55km
Dados do meu GPS (às vezes é um bocadinho mentiroso...): 
Distância total: 48,66kms
Acumulado de subidas: 625 mts.

Cheguei cerca das 08H40 com um sol um pouco envergonhado e nevoeiro, mas antes, quando passei em Rossio ao Sul do Tejo ultrapassei o Ricardo (um amigo) que andava a treinar e ao ver-me passar com a bike no tejadilho ficou surpreso por não ter tido conhecimento deste evento. Para mim, a maior falha desta Organização a cargo da Casa do Povo de São Miguel do Rio Torto foi precisamente a pouca divulgação.

Ainda assim, no local encontravam-se cerca de 70 atletas, entre eles alguns conhecidos e amigos, como o Gabriel Matilde, na foto acima. Ao reconhecer entre os elementos da Organização algumas caras conhecidas do BTT local ex-companheiros meus das voltinhas domingueiras, imediatamente previ que os trilhos que me esperavam iriam ser fantásticos.

A concentração dos atletas foi junto ao campo de futebol, local de estacionamento e onde seriam depois os banhos, mas a partida/chegada foram-no defronte ao edifício que alberga a sede da entidade organizadora.

Muitos se queixavam do mesmo que eu: poucas horas dormidas! No meu caso apenas 4H depois de um jantar acompanhado de bom vinho, danças sevilhanas e flamenco à mistura, por isso o objectivo pessoal era rolar a ritmo não muito alto.

A partida teve um ligeiro atraso após algumas palavras do speaker Rui Coelho, cujo micro não funcionou devidamente, o que resultou em quase absoluta interrogação acerca do que dissera. O pace-car também falhou o objectivo, que deveria ter sido manter unido o pelotão até à saída da localidade, mas ao inverso deixou-se "picar" pelo Octávio Vicente (Fôjo-Zybex BTT Team), tendo logo após 100 metros partido por completo o pelotão.

Em andamento ligeiro entrei na terra batida após a apresentação com cerca de 2kms de extensão, com 7 atletas já à minha frente, a maioria deles já com minutos de avanço.

Na foto João Barroso (BinTTage), 2.º classificado nos 25km.

Boa representação da equipa BinTTage, com 3 atletas em prova.

Os primeiros kms senti-me bem e decidi empregar um ritmo elevado face também aos trilhos bastante rolantes, onde nos primeiros 20kms verifiquei que levava uma média de 22.5 km/h, que desde logo previ não ser possível aguentar até final, face ao fraco pequeno-almoço e poucas horas de descanso.

O triatleta Octávio Vicente ganhou logo desde início um confortável avanço sobre os demais, demonstrando grande forma física actual.

Na foto Hugo Neves (BTT Clube dos Pinheiros), que viria a conseguir arrecadar o 3.º posto. Quanto a mim fui "agarrado" ao km22 pelo Marco Lopes (Os Mouriscos), que vinha brutíssimo, ainda tentei acompanhá-lo mas o corpo pedia descanso... o Marco ainda viria a conseguir o 2.º lugar.

Cheguei finalmente, após ter-me perdido a escassos 4 kms do fim e me haver enganado na direcção da meta já dentro de S. Miguel, por inexistência de sinalizações. Acabei por terminar num honroso 8.º lugar. Os 55kms afinal não chegaram nem aos 50.

Antes e até o almoço estar pronto, servido na sede da Casa do Povo de São Miguel do Rio Torto, fomos recebidos presenteados com bebidas (água, cola, sumo, vinho, cerveja) e sandes para irmos amansando o bichinho... já o serviço de almoço foi bastante rápido.


No final, não estiveram previstos prémios para os primeiros classificados, no entanto, foram sorteadas algumas lembranças. A mim calhou-me uma t-shirt da Mitsubishi... 

Para terminar, o Carlos Fernandes lubrificou-me as vias respiratórias com o novo óleo em gotas da Lancar.
No geral o evento esteve muito bom, sem grandes falhas a apontar, no entanto permitam-me só alguns reparos (nos 50kms): os abastecimentos de água estavam muito afastados, faltaram mais PC's face às vezes que os percursos se uniram, o pace-car deixou-se "enganar". A destacar a excelência na escolha dos trilhos, o ambiente familiar, o almoço, as marcações e as ZA's.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...