sábado, 22 de outubro de 2011

Participação da equipa (Santarém)

Representação a cargo de:
80km - David Gonçalves. 

Conforme já vem sendo hábito neste evento, englobado na anual exposição Festival Bike nos pavilhões do Cnema, na capital de distrito Santarém, província do Ribatejo, a maior feira da Península Ibérica e a 2.ª maior feira da Europa neste segmento das duas rodas, realizou-se a 7.ª Maratona Festival Bike Órbita, com a participação de cerca de 2.000 atletas, divididos pelas distâncias de 40/80km,

Esta prova, este ano inscrita na UCI e a contar também para a Taça Nacional de XCM, mais uma vez com organização a cargo da FullSport. Reuniram-se um pouco mais de 2000 atletas, uns para competir e outros somente pelo prazer de pedalar entre tantos entusiastas da modalidade, com o acréscimo de simultaneamente poderem desfrutar igualmente de uma visita à exposição de bikes, cujo bilhete, como vem sendo hábito, estava incluído no preço da inscrição.

Uma grande e bonita manta de cores oriunda dos diversos equipamentos multicolores, enchiam as vistas ao público que ali esteve presente, vindos um pouco de todo o país e além fronteiras. Presentes e a participar estiveram presentes também grandes nomes do ciclismo de estrada e BTT do panorama nacional, bem como grandes marcas que apoiam as principais equipas e outras amadoras.

O David teve aqui a sua 3.ª participação neste evento, já com créditos firmados no ciclismo de estrada rende-se finalmente à paixão pelo BTT e pela adrenalina da técnica e dureza fora de asfalto.

 
 Preparando-se para a partida, o David não escapou à objectiva do amigo Manuel Marcão (BTT Lovers).

A partida teve inicio às 09H30, com a partida dos atletas federados (cerca de 300) e que concorriam para a taça de BTT (tratava-se da última prova de taça de XCM). Dez minutos depois deu-se a partida dos atletas para a maratona (87km a bombar), até o material aguentar para alguns, outros até o gás se lhes acabar e ainda aqueles que mesmo com o material todo florido, avançavam na mesma. Por fim partiram os da meia maratona. 

 
 
A partida foi dada de forma repartida, Maratona/Meia Maratona, Federados/Não Federados, de forma a haver a mínima intervenção negativa face a prejudicar o campeonato que aqui via terminada a época. 

Apesar das partidas independentes, a enorme quantidade de participantes levou a que logo no início ocorressem quedas entre o pelotão, como aqui, à esquerda na imagem.

Momentos depois, próximo ao nosso David Gonçalves, mais uma queda ainda e também junto à linha de partida, em que o David consegue passar incólume por entre a enorme confusão gerada.
Aqui o David a "fugir" à confusão. Pernas para que te quero!

 

 A 1.º subida do dia, logo à saída da zona de partida, na entrada para o 2.º km de prova.
 O terreno estava muito seco. Nunca tinha visto tanto pó numa prova BTT, pois as bikes levantavam muita poeira e era importante quando dava, um individuo proteger-se com o vento.


Grupo onde seguia o sobejamente conhecido Vítor Gamito.

Poucas centenas de metros atrás seguia o David Lebre também em bom ritmo. 

Esta a 1.ª parede do dia, que obrigava os atletas a desmontar por falta de tracção. 

Uma pequena ponte levava os atletas a ultrapassar uma vala, ponte esta que devido ao pelotão ainda aqui seguir enorme, levou logo ali à formação de filas enormes. 


Bem, esta prova em termos de organização estiveram muito bem, trilhos bem marcados e bem sinalizados, cruzamentos com policiamento e chamadas de atenção para os perigos, feitos com placas de sinalização e até com pessoas com coletes refletores.

 
  
 
Sensivelmente a meio do percurso tinha um troço que parecia uma pista de motocross, em que o percurso era separado por fitas e andávamos ali a subir e a descer uma encosta. 

 
 
 
Foi neste local que desgracei a minha pedaleira e torci a corrente, fazendo perder muito tempo. Acabei por fazer um ou dois kms a pé e quando cheguei a uma zona residencial, onde havia mais um troço em rampas de madeira, tive sorte. Encontrei ali um espectador, o colega da equipa Pedro Silva, que tinha ferramenta adequada. Desencravamos a corrente e meti novamente lenha na caldeira... foi até acabar. 

Esta zona de espectáculo viria a ser o centro de todas as contestações, face às filas que se criaram, havendo compassos de espera a ultrapassarem os 40 minutos só para ultrapassarem esta zona, em que a passagem só permitia 1 único atleta de cada vez.


Mas, problemas à parte, houveram ainda diversas zonas para rolar... e bem, com largueza suficiente e sem pó. 
Na foto o amigo Zé Bitoque, da RHC Motos/Bikes, também nosso parceiro. A referir o facto dos percursos 40/80km serem na sua praticamente totalidade, diferentes entre si, ou seja, por trilhos completamente desiguais.





Os abastecimentos eram bons, com produtos da Gold Nutrition. Na chegada foi o costume (deste evento): bons banhos, prémios e feira... A classificação foi 132º. Com material a funcionar bem, posso garantir-vos que faria bem melhor, pelo menos, talvez, menos meia hora e já chegaria com o Gamito. Fica para a próxima...  


Mais fotos tiradas por nós, a cargo de Pedro Silva, ver aqui álbum completo (65 fotos).

Vídeo RTP2 - Reportagem

Video BTT TV - Reportagem


Vídeo Rescaldo c/ Camera Onboard - Paulo Rodrigues

CLASSIFICAÇÕES

Classificação 80km (parcial):
001.º (03h38m15s) - Rui Pereira (individual)
002.º (03h49m09s) - Cláudio Trancadas (Bike Clinic)
003.º (03h49m17s) - Carlos Trancadas (Bike Clinic)
136.º (04h53m25s) - David Gonçalves (Zona 55 Bike Team) - 34.º cat. Vet. B+C
295.º (07h23m26s) - Último

Créditos à reportagem:
Textos: David Gonçalves, João Valério
Reportagens Vídeo: RTP, BTT TV, RodriguesPeto
Fotos: Zona 55 (Pedro Silva), BTT Lovers (Aurélio Marcão), Passagens ao Acaso, Scout68 (Rui Alexandre), Afonso Estevão, Cláudia Margarida, Organização.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...