quinta-feira, 15 de março de 2012

Entrevista: Jorge Baeta ("patrão" da JORBI)

Jorge Baeta com o modelo Race Plus Carbon, topo de gama BTT 2012 da marca JORBI .
Imagem: Aquapólis (norte) - Barreiras do Tejo (Abrantes)
Edição de imagem e fotos: João Valério

- Reportagem Exclusiva à Zona 55 -

     A JORBI é uma marca de bicicletas portuguesa, oficialmente fundada em 2010, cuja fábrica está sediada em Abrantes e que deve a sua criação à perseverança do seu fundador, Jorge Baeta e restante equipa que o acompanha.

     Conforme já o fizemos anteriormente e de acordo com as nossas estatísticas aqui no blogue, trazemos-lhes mais novidades da JORBI. Desta vez resolvemos voltar a entrevistar o Jorge Baeta, que fez um balanço actual da JORBI.

A JORBI no mercado
João Valério: Qual o balanço que fazes destes 2 anos de existência/produção da JORBI? Foram os objetivos alcançados?
Jorge Baeta: Bastante positivo, apesar da enorme recessão económica que estamos a atravessar, os objectivos foram alcançados. 

J.V.: Qual o feedback que tens tido do mercado relativamente à qualidade e fiabilidade dos quadros JORBI? Tem a JORBI conseguido fidelizar clientes?
J.B.: O feedback é bastante positivo. Sim, apesar da curta existência e da crise que atravessamos temos conseguido fidelizar clientes.

J.V.: Tens informação do total de unidades JORBI vendidas e de qual a região do país onde mais se vendem?
J.B.: Até ao momento vendemos cerca de 1500 artigos JORBI, que compreende toda a gama da marca, com principal destaque para quadros e bicicletas completas. Vendemos um pouco por todo o país, além desta zona onde nos encontramos sediados, destaco também o Algarve e o Litoral Norte.

J.V.: Neste momento, a JORBI já pode ser encontrada à venda em qualquer ponto do país?
J.B.: Sim. Para se inteirarem dos Agentes Autorizados, basta acederem ao nosso site (www.jorbi-bikes.com).

J.V.: Há alguma região ou distrito onde pensas apostar mais fortemente para breve? De que forma?
J.B.: A zona de Lisboa. Quanto à forma ainda estamos a estudá-la.

J.V.: Actualmente, qual é o produto mais procurado da marca JORBI?
J.B.: As bicicletas de estrada. Mais concretamente a gama de entrada de alumínio.

J.V.: Quais os produtos e áreas de utilização abrangidas actualmente pela JORBI?
J.B.: Fabricamos bicicletas para usos em diversas utilizações, a saber: estrada regular, estrada contra relógio, pista, ciclocross e BTT. A nível de acessórios, já temos uma pequena gama de acessórios, onde destaco as rodas, travões, pedais e fechos rápidos para as bicicletas de estrada, bem como, outros acessórios de utilização mista como sejam os bidons, grades de bidon, selins e drop out's.

Gama 2012
J.V.: Quais as principais novidades na gama 2012, nas diversas vertentes da marca? 
J.B.: Na vertente estrada lançámos na alta gama o quadro Supreme, que se destaca pelo seu peso de 790 gramas, a ser utilizado esta época pelos trepadores da equipa do Clube de Ciclismo de Tavira, bem como a introdução do quadro Ultimax, a ser utilizado pelos restantes elementos desta equipa e das restantes equipas que a JORBI apoia. Introduzimos também o novo quadro de pista em carbono e o de ciclocross, abrangendo deste modo todas as áreas do ciclismo. O modelo Racing Carbon foi substituído pelo Evolution.
Na vertente BTT, lançámos os novos quadros Race Plus Carbon com 990 gramas rígidos, o Race Plus Carbon FS de suspensão total em carbono e introduzimos 2 modelos roda 29” rígidos, com quadro em alumínio. 

A JORBI na área competitiva
J.V.: Relativamente a projectos na área competitiva onde a JORBI está directamente envolvida, de uma maneira geral, quais os que consideras terem sido mais interessantes, não só para a divulgação da marca, mas também para testar a sua fiabilidade?
J.B.: A nível de notoriedade e evolução, sem dúvidas a equipa do Tavira Prio (estrada) e a Jorbi Test Team (BTT). A competição é por excelência o maior “laboratório” para desenvolvimento de qualquer produto deste género.

J.V.: Quais as equipas e projectos que estão atualmente a ser apoiadas pela JORBI?
J.B.: Na vertente estrada, continuaremos a apoiar como até aqui o Tavira Prio, o Louletano, o Mortágua e o Cartaxo. Na vertente BTT mantemos a equipa da marca, Jorbi Test Team. Já em relação a projectos pessoais, apoiaremos o Ricardo Marinheiro (BTT), o Sérgio Silva (duatlo) e alguns outros nomes ainda não confirmados.

J.V.: Já que referiste a Jorbi Test Team, para quem não sabe ou desconhece, esta equipa foi criada inicialmente com o lançamento da marca. Este projecto obteve até ao momento os resultados esperados? 
J.B.: De certa forma sim, uma vez que estamos a falar de uma equipa amadora que tem como base os atletas que estavam no Team Baeta. A nível competitivo, temos conseguido ter atletas na categoria principal (elites) constantemente no pódio e esperamos que em breve possamos ter o primeiro título nesta vertente (BTT).

J.V.: Quais os objectivos que tens actualmente para a Jorbi Test Team, na próxima época? Passam alguns deles por participações além-fronteiras?
J.B.: Depende muito dos apoios que conseguirmos, mas não estão colocadas de parte participações em Espanha.

O futuro da JORBI e novos projectos
J.V.: Uma das tuas mais recentes apostas é a produção de rodas para equipar bicicletas de estrada. Podes esclarecer como surgiu a ideia e qual está a ser a recepção do mercado?
J.B.: Surgiu derivado à necessidade de equiparmos as nossas bicicletas com materiais de melhor qualidade cujo preço final fosse mais competitivo e simultaneamente tentando fazer um produto de alta qualidade sem recorrer a outros fabricantes.

J.V.: Além dos quadros e das rodas, tens intenção em apostar noutros segmentos de acessórios para bicicletas? 
J.B.: Além dos que já falámos anteriormente, estamos igualmente a produzir acessórios para rodas, travões, pedais, forquetas e drop out's essencialmente para o segmento estrada e também selins, bidons e grades de bidon de utilização mista, além de outros pequenos acessórios.

J.V.: A JORBI já se encontra disponível para venda além-fronteiras? 
J.B.: Atualmente ainda não. Estamos a ponderar apostar em Espanha, Brasil e talvez Angola.

J.V.: Continua a JORBI a trabalhar com a “prata da casa” na produção dos seus produtos?
J.B.: Sim, e tal se pretende face à actual época de contenção de custos.

J.V.: Queres aproveitar para listar os nomes dos colaboradores/responsáveis pelas diversas áreas de produção?
J.B.: Concerteza. Na área de design de quadros sou eu mesmo, Jorge Baeta. O design gráfico está a cargo do Pedro Ruivo. A pintura é repartida pelo Artur Vieira e pelo Sérgio Ramos. A montagem e o embalamento é da responsabilidade do José Aparício e do Sérgio Campos.

J.V.



LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...