sábado, 20 de junho de 2015

Participação da equipa (Abrantes)

Representação a cargo de:
David Gonçalves, José Silva, Pedro Silva

Esta foi a minha primeira participação neste tipo de evento, não por ser BTT, mas por ser noturno e urbano. Fui fazer companhia ao José Silva e ao David Gonçalves, meus colegas de equipa e com outras aspirações na prova, bem diferentes da minha.

O local da partida, localizado na Praça Barão da Batalha, no centro da cidade de Abrantes, local meu desconhecido mas que apresenta boas condições no que respeita a espaço e até algum mobiliário urbano, a fim de proporcionar boas comodidades para quem quis assistir à partida e passagem dos atletas. No momento em que eu afinava o material eletrónico.



A partida fez-se à hora marcada e sem atropelos, pelo menos na parte de trás onde eu me encontrava.



O David Gonçalves e o José Silva colocaram-se logo a jeito desde início, face às suas pretensões, motivo pelo qual os deixei logo de ver. No que diz respeito à minha pessoa, como o objetivo era fazer uma participação no sentido de me divertir, curtir o circuito e fazer captação de imagens, iniciei num ritmo bem mais baixo, o que é normal.



À semelhança das anteriores edições, a Zona 55 foi novamente eleito parceiro da equipa organizadora, A. C. BTT do Fôjo, na divulgação e promoção deste evento.



As minhas duas primeiras voltas foram dadas praticamente sem parar, pois pretendia captar algumas imagens inserido no meio dos atletas em andamento. Nas restantes voltas fiz várias paragens, algumas bem demoradas e por vezes regadas “combustível liquido“.





Este ano o percurso estava mais duro! No entanto estava também com umas cenas muito fixes. A registar  a passagem no parque da malta dos skates e a passagem pelas escadas. Ahhh!  E a cena mais interessante foi a descida por cima de paletes em madeira da autoria do carpinteiro do Fôjo Zybex. - disse o David Gonçalves.




O inicio da subida com mais dureza do percurso. Cada vez que eu a tentava subir até fazia cavalinho! Resultado: pés no chão e empurrar a bike.


O Pedro Silva esteve mais numa de repórter, na captação de imagens para o vídeo de rescaldo. - disse David Gonçalves.



O percurso, com uma extensão total de cerca de 5km, fazia com que passássemos pela área urbana da cidade, zona antiga e basicamente sempre em paralelo e pela fortaleza, andando pelas suas encostas e no seu interior com passagem por zonas de relva.


No inicio da prova não se viu muita gente ao longo do percurso mas, com o passar do tempo, estava decorrido cerca de um terço do tempo da prova, já se começou a ver muito público presente e ao longo de todo o percurso, o qual esteve sempre com palavras de incentivo a todos os atletas que passavam. Até à minha pessoa, por momentos pensei que até era um atleta de alto gabarito.

Não posso fazer comparações com os percursos dos anos anteriores, porque foi a minha primeira participação, mas não posso deixar de dizer que o percurso escolhido estava muito bem marcado e com passagens espetaculares, em que alguns momentos, para quem não vai a abrir, deu para nos sentirmos uns verdadeiros conquistadores de território, devido às imagens que nos eram permitidas de junto da fortaleza sobre o rio Tejo.


A inscrição incluía seguro de prova, dorsal, abastecimento e snack no final. Existia uma zona de abastecimento oficial, dada pela Organização, muito simpática e funcional, que se encontrava em último posto na zona destinada às assistências próprias dos participantes e equipas presentes.


Durante a prova tive conhecimento que houve um acidentado, pois vim uma ambulância a deslocar-se junto do percurso, mas não apurei o que se tinha passado.



Ao longo de todo o percurso encontrámos diversos fotógrafos, o que sempre contribui para a maior divulgação do evento. O formato do percurso também ajuda, pois evita grandes deslocações no terreno.





A pista esteve muito bem marcada e o staff transmitiu bastante segurança aos participantes. Foi grande parte dela balizada com fitas e com muitos elementos da Organização a auxiliar, um pouco espalhados por todo o troço. 

O tempo esteve sempre ameno. Com o cair da noite, a maior fresquidão ajudou a combater os litros de suor que íamos largando. No entanto, houve quem fizesse umas paragens em zonas de abastecimento neutro improvisados, onde se podia carregar umas bejecas. 



O percurso esteve  todo ele com excelente iluminação. A zona de passagem que exigia a potência dos watts e lúmens era só mesmo na envolvência e interior do castelo.

À medida que a noite ia caindo, os diversos participantes ligavam os seus equipamentos de iluminação, onde existia alguns bastante iluminados, parecia uma feira.



O resto da prova foi sempre a fundo. Cá o mangas é que não estava para correrias. Arranquei trinta e cinco sacos de batata de manhã e a esta hora a enxada já estava partida. - Disse David Gonçalves.

 O José Silva esteve muito forte, com muito andamento, pena não ter conseguido ir ao pódio. - disse David Gonçalves.

 Umas das subidas bem puxadinhas, se não a mais puxada, à encosta do castelo.
 
A zona de meta foi um local com constante animação, cada vez que lá se passava parecia que era sempre a partida e era, pois cada volta era mais um inicio de uma etapa. Não faltava alguém da organização, speaker, o amigo “Renato Valério”, sempre a interligar com os participantes que iam passando. Também o público em redor da zona de meta esteve sempre animado.


Em suma espero para o ano cá voltar e se possível com mais companheiros da Zona 55. Falta ainda acrescentar que depois de ir a banhos voltei ao local de partida para saborear um belo de um caldo verde acompanhado de um pão com chouriço, que souberam que nem ginjas... Os meus parabéns à organização, que como já nos vem habituando, onde mete as mãos sai bom serviço, sendo este evento mais uma prova disso.


ÁLBUNS FOTOGRÁFICOS
Anacleto António (Organização)
Carlos André (Organização)
Carlos Gaspar (Organização)
Fábio Nunes (G.C. Barquinhense)
Filipe Rodrigues (Zona 55 Bike Team)
Hugo Lopes (Organização)
João Betes (Organização)
Urbina Varela (BTT Vale da Serra)



01.º - 11 voltas - 03:02:56 - Pedro Ruivo (A.C. BTT Fôjo)
02.º - 11 voltas - 03:07:52 - António Marques (Marrazes/Bejinho/Joficina)
03.º - 10 voltas - 03:00:38 - Hélder Costa (Pinéus Bike Team)
06.º - 10 voltas - 03:02:50 - José Silva (Zona 55 Bike Team)
31.º - 05 voltas - 03:01:07 - Pedro Silva (Zona 55 Bike Team) 

01.º - 10 voltas - 03:16:58 - Jorge Garcia (AMA Entrevinhas)
02.º - 09 voltas - 02:58:28 - Vítor Monteiro (Fátima BTT/Desafarte)
03.º - 09 voltas - 03:03:07 - Fernando Raposo (individual)
05.º - 08 voltas - 03:00:03 - David Gonçalves (Zona 55 Bike Team)
16.º - 04 voltas - 02:18:01 - Último

Créditos à reportagem
Texto: Pedro Silva e David Gonçalves.
Fotos: BTT Vale da Serra, Urbina Varela, Fábio Nunes, Organização (A.C. BTT Fôjo).
Vídeo: Zona 55

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...