domingo, 25 de setembro de 2016

Participação da equipa (Foros do Arrão)

Representação a cargo de:
60km - João Valério

Já um bocado em cima da hora me apercebi deste evento aqui bem perto de mim. Tinha esta manhã de domingo livre e 3 dias antes fui dar uma vista de olhos pelo nosso blogue, onde o Jorge Rabaça tem feito um trabalho excelente na atualização da publicação de eventos. Há que aproveitar todas as oportunidades para praticar btt e conhecer outras Organizações e percursos! Como não podia deixar de ser, eu lá junto à edificação que dá nome ao evento: o moinho!

Cheguei bem cedinho e facilmente encontrei o secretariado, onde fui rapidamente atendido. Quero desde já agradecer ao GDCFA, na pessoa do João, por terem aceite a minha inscrição tardia. A partida foi de junto à sede do Grupo Desportivo e Cultural de Foros do Arrão, já a chegada viria a ser no campo de futebol local, onde seriam também os banhos, daí que fui logo lá deixar o carro para antecipar o esforço pós-prova.

Encontrei algumas (poucas) caras conhecidas entre o pelotão composto por cerca de 60 praticantes. Na distância da Maratona (60km), que foi onde participei, fomos apenas uns 20 inscritos. Após algumas indicações, deu-se a partida e, apenas umas três centenas de metros à frente, no final da rua, alguém faltava para controlar o trânsito num cruzamento imediatamente antes da terra batida.

O trilho tão popularizado pela Organização chegou poucos quilómetros após o início da prova, quilómetros esses que tiveram alguns sobes e desces, mas nada de complicado, pois foi sempre a dar gás. O piso estava impecável, bastante rijo e ciclável. O tempo também estava ótimo: o sol brilhava e sentia-se uma fresca aragem.

O Trilho do Javali tinha uma extensão de cerca de 200 metros desenhado no interior de um eucaliptal, com constantes ressaltos, exigindo alguma técnica e calma, para ganhar demasiada velocidade e salta do cavalo!

Após a saída do eucaliptal já poucos atletas consegui ver, fosse à minha frente ou atrás de mim. O percurso começou então a ser mais plano e rápido, mas mesmo muito rápido, quase sempre por estradões, mas ainda assim com oportunidade para se poder apreciar a paisagem que nos rodeava. As marcações estavam boas e, por isso, não havia que enganar, era ir bebendo uns goles de água e roendo umas barras.

Realizei o percurso quase sempre nos meus limites, mas ciente de que ainda havia mais alguma coisa para dar. Ao chegar bem próximo da Barragem de Montargil, sensivelmente ao km43 foi quando o percurso deu "a volta" para se fazer o regresso aos Foros do Arrão, onde nos esperava uma "parede" com algum jeito e, depois de tantas facilidades fiquei deveras surpreso! Fui aproveitando todas as zonas de abastecimento, pois queimavam-se calorias e transpirava-se em doses industriais.

Os quilómetros finais foram de novo grandes retões e as rpm no vermelho, mas as forças já não eram as mesmas dos primeiros 30km e a bicla parecia agora estar a ser atraída por um grande íman debaixo de terra. Com esforço e determinação lá me encaminhei até à meta onde terminei num honroso 10.º lugar, a meio da tabela, com um média de 21km/h, a minha melhor prestação de 2016. Adorei o percurso, bastante diferente do que estou habituado e também a forma de receber e simpatia da Organização. Os balneários do campo de futebol tinham água quentinha e desenrascaram facilmente a magra lista de inscritos. Infelizmente não fiquei para almoçar.

CLASSIFICAÇÃO GERAL
01.º - 02:17:11 - Ricardo Pinhão (BTT Sôr)
02.º - 02:17:15 - Manuel Alves (individual)
03.º - 02:22:21 - António Marques (BTT Sôr)
10.º - 02:54:47 - João Valério (Clube de BTT Zona 55)
20.º - 04:01:42 - Último


Créditos à reportagem
Texto: João Valério
Fotos: Organização

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...